Wednesday, January 10, 2007

Carta Aberta

Quando em tempos idos criei este espaço, era apenas o MEU espaço. Um segredo que guardava a minha intimidade, um escape para todo o meu sentir, um museu para algo que eu outrora julgava que me pertencia apenas a mim. Ou também ao destinatário das minhas missivas.

Não imaginava esse refúgio a ser visitado, não me via a partilhá-lo com desconhecidos, não procurava nada nem ninguém. Criei este espaço para desabafar, para poder ouvir o eco do silêncio que ressoava após a libertação das minhas palavras.

Aos poucos fui revelando o que guardava cá dentro, convidando pessoas a visitar extratos do meu coração, a sentirem as minhas palavras, a lerem os meus sentimentos.

Não o fiz por vaidade, pela popularidade barata que todos nós procuramos, para ouvir elogios ou ser admirado. Fi-lo porque preciso de sentimentos à minha volta, preciso de sentir que toco as pessoas, preciso de as tocar. Nada mais me importa.

Em nenhum momento deixei de sentir o que escrevi. Por mais olhos que me olhassem, consegui sempre abstrair-me deles ou, pelo menos, não deixei que estes interferissem na minha forma estranha de sentir. Pelo contrário, deixei que os sentimentos que pairavam à minha volta me inundassem de mais e mais sentimento. Como se tudo fosse uma gigantesca sede de Amar que eu sei nunca será saciada.

Procurei-vos, sim. Porque preciso de Amor. Porque preciso de ser sentido. Porque preciso de ser Amado.

Haverá algo mais importante do que isso?



Elvis Costello – I Wanna be loved


Why must I be so lonely?
When so many people pass me by
I’ve been waiting for oh so long now
And yet I’m unable to answer why
I can’t be made to give up now
Can you find room for me
In your heart somehow?
I wanna be loved
I just wanna be loved

I guess I’m a victim of loneliness
But why should this be my destiny?
A foolish man for a lot of my life
Shouldn’t there be someone
Someone for me?
I hope and I pray some happy day
That I’ll be around to hear you say
I wanna be loved
I just wanna be loved

6 comments:

ci said...

Quem não precisa de ser amado???
eu sinto muito a falta disso...


beijinhos da ci

Aninhas said...

Xiiii

Estou como a CI.
Quem não precisa de ser amado??

Há quem passe bem com o ser gostado, até mesmo com o ser amado "conformado", mas a mim faz-me falta a paixão.
Aquele amor que nos tolda a mente e que nos tira o apetite e a capacidade de pensar noutra coisa se não nele mesmo...

:))

Aninhas said...

Já lá vai a hipopótama...

;)

a mulher do lado said...

Querido poeta, todos nós precisamos, e muito, sermos amados, acarinhados, postos no colo... mas são poucos os que assumem assim, de peito aberto. Os que aceitam o amor, quando ele chega, os que se deixam amar... espero que sejas um destes.
Bjos

Lua de papel said...

Sem amor a vida nao tem sentido

BJS

Extraterreste said...

Vim aqui parar por mero acaso.

Devorei tudo o que escreveste.

Também eu desejava que estas cartas fossem para mim.E tenho a certeza que não ficavam sem resposta.

Amor, Amar e ser amada...
Já o senti e já o perdi...
Não sei quando o volto a encontrar
Mas sei que vou continuar a procurar
Até encontrar o que perdi...
Amar e ser amada