Friday, February 29, 2008

Sinto a tua falta!

Sinto a tua falta!!! E ainda ontem te tinha ao meu lado...

Não sei onde andas, não sei como estás, sei apenas que existe um vazio porque não te vejo, porque não ouço a tua voz, porque não tenho o calor dos teus abraços. E no entanto estás comigo. Sempre comigo.

Por vezes fico tentado a fugir aos meus sentimentos, deixando que a vida mundana me faça esquecer a tua ausência. Para quê fazê-lo se essa tarefa é impossível ? Não importa o quanto estejas ausente, a tua presença é tão marcante como a minha própria vida.

Há alturas em que me deixo enredar nas recordações e nas saudades que as avivam e, como se se tratasse de magia, apareces do nada, sorris, olhas-me nos olhos, sossegas a minha alma. Eu ali fico, mudo e quedo, parando a respiração, tentando não me mover, como se aquela “paralisia” pudesse manter-te ali para sempre. Nem que fosse apenas para eu te ver, nem que fosse para me assegurar que ainda que Amas, que ainda tens algo que te liga a mim. Infelizmente a racionalidade e a realidade levam-te para longe, deixando-me entregue a uma melancolia e nostalgia que mais não são do que a outra faceta de um Amor forte, sincero e verdadeiro.

À noite, quando observo a Lua e as estrelas à sua volta, sinto ainda mais a tua presença. Parece que guardas por mim de longe, assumindo-te como verdadeiro Anjo da Guarda. E aí sinto-me tranquilo, quase que consigo dizer que me sinto feliz, pelo menos orgulhoso de Amar e ter amado alguém desta maneira.

Mas é duro ficarmos afastados das pessoas que amamos. Por mais que nos agarremos às saudades, por mais que nos reconfortemos com as recordações, por mais que tentemos deixar para trás os sentimentos e o Amor.

Às vezes rio-me do Amor e com o Amor...Engraço com a sua ironia, divirto-me com a forma como nos prende e nos liberta, como nos faz rir e chorar, como se torna a coisa mais importante e supérflua das nossas vidas. E no entanto choro...

Tu, como tantas outras pessoas, sempre tiveste dificuldade em perceber o Amor na sua plenitude, em compreendê-lo em todas as suas aparências, em absorver e viver todas as suas vertentes, positivas e negativas. Não quero com isto confessar que descobri os segredos do Amor. Nunca poderia, nem sequer quereria, proclamar-me sábio ou mestre no Amor. Seria certamente o maior erro que um homem apaixonado poderia cometer, uma vez que “um homem apaixonado que pensa, não é um homem apaixonado”. Apenas tento entregar-me de alma e coração às maleitas do Amor, por vezes mais edificantes do que todos os momentos de alegria, partilha e felicidade. Mas isso são manias de poeta, ou de aprendiz de poeta, ou de pessoa normal que gostaria de ser poeta e de viver como tal. Mas bem sabemos que neste Mundo não há lugar para os poetas...

Aos poetas tomam-nos por loucos, por pessoas inconstantes que navegam ao sabor dos seus humores de alma. Seremos loucos ??? Sinceramente sempre achei difícil definir a loucura e a sanidade. Será mais são o homem que evite Amar para não sofrer ??? É o mesmo que evitar viver para não morrer.

Por isso prefiro Amar. Amar incondicionalmente. Amar com todas as minhas forças. Amar até não poder mais de alegria e satisfação, dor e angústia. Amar porque sim. Amar simplesmente. Simplesmente...Amar. Ainda que sofra, ainda que me magoe, ainda que doa. Todos estes sentimentos são proporcionais à capacidade intrínseca de Amar. E eu....Amo-te. Muito. Agora. Sempre. Não importa a distância, não importa a ausência, nem sequer importa que me Ames. Amo-te, pronto!!! Não pretendo, não desejo, não posso evitar esse Amor. Viverá comigo até que eu próprio me extinga.

Gostava que pudesses ler o que eu te escrevo com a maior dedicação, gostava que pudesses sentir a minha alma para te certificares do meu Amor, gostava que me ouvisses mais uma vez, nem que fosse apenas mais uma vez, que me ouvisses explicar, provavelmente de uma forma atabalhoada, todas as emoções que me fazes sentir. Mas, acima de tudo, gostava que nunca te esquecesses de mim.

Quando eu morrer, sim porque isso há-de acontecer um dia, gostaria que me visses na Lua cheia, que me ouvisses em tantas e tantas músicas que partilhámos, que me cheirasses no teu corpo e que me sentisses na tua própria alma. Aí sim poderia dizer: vivi e morri no Amor.......E onde quer que estivesse......ficaria feliz.

5 comments:

Anonymous said...

bonito.
aa

Anonymous said...

..."Gostava que pudesses sentir o que sinto quando te leio, com toda a dedicação, gostava que pudesses sentir a minha alma para te certificares do meu Amor, gostava que me ouvisses mais uma vez, nem que fosse apenas mais uma vez, que me ouvisses explicar, provavelmente de uma forma atabalhoada, todas as emoções que me fazes sentir. Mas, acima de tudo, gostava que nunca te esquecesses de mim"...

AMO-TE..............SEMPRE.

Anonymous said...

PS: JULIET (SO DO I...)

Anonymous said...

fazem falta as tuas palavras ....

Cláudia said...

Lindo... adorei, assim dá gosto ser Julieta de alguém! = P *