Tuesday, June 26, 2007

Não julgues...

Não julgues que te Amo por obrigação. Porque a isso me comprometi, porque te jurei eterno Amor. Ainda que isso tivesse algo de louvável, não é certamente essa a razão do Amor que te tenho.

Não penses que te Amo por qualquer tipo de masoquismo poético. Porque me fascina o Amor doído, saudoso, inatingível e impossível. Ainda que esses sentimentos fossem inspiradores, não são esses que me conduzem.

Não vejas no meu Amor algo do destino. Algo do qual não seja capaz de fugir, algo escrito, predestinado, definido sem que eu - ou tu – tenha qualquer tipo de influência. Ainda que isso aliviasse a minha consciência, não sei se o destino teria força para este Amor.

Não olhes para o meu Amor como fruto de uma loucura interminável. Como se tivesse sido a falta da razão a causa deste Amor. Talvez o contrário... Ainda que admita por vezes a coexistência do Amor e da loucura, acredita que não me sinto nem mais nem menos louco do que antes de te Amar.

Não procures razões, causas, lógicas, questões, explicações para este Amor. Ou para qualquer Amor verdadeiro que te tenham. Ou que sejas capaz de ter.

Não sei porque te Amo. Mas sei que Amo. Sei como me sinto por dentro quando ouço a tua voz, quando te leio, quando te sonho. Conheço a sede que tenho de ti, do teu Amor, do teu carinho, dos teus sonhos. Respiro-te diariamente através de todos os poros da minha existência. Existes dentro de mim a cada batida do meu coração. Alojaste-te no mais recôndito esconderijo da minha Alma e pairas hoje em tudo o que eu seja capaz de sentir. Não existe qualquer segundo sem que permaneças dentro de mim e comigo.

Por tudo isto, e por tanto mais que nunca seria capaz de te explicar, não disseques nem analises o meu Amor por ti. Não te peço que me compreendas. Não te peço que aceites. Não te peço que me Ames. Apenas te peço que não penses...

6 comments:

Fofa said...

O amor não se analisa, não se explica, não tem ses nem 'porquês'.

O amor é!

Linda esta carta. Belo o que escreves, delicioso de se ler e sentir.

Bjo fofo

SoNosCredita said...

tirando 2/3 'coisitas', gosto da cadência deste texto.

bonito!

Peste said...

O amor não é algo q se consiga Analisar...

é assim e assim mesmo... o melhor é aprender a viver com ele.

Beijos grandes

Adorei o q escreveste

Elipse said...

não peças a ninguém que te ame - não vale a pena.
e... sim, só mesmo sem deixar o pensamento interferir se consegue o que é descrito.
mas, normamente, a razão não se afasta...
sobra a literatura.

Anonymous said...

"Não procures razões, causas, lógicas, questões, explicações para este Amor. Ou para qualquer Amor verdadeiro que te tenham. Ou que sejas capaz de ter"

em quem te inspiraste ??? ... este paragrafo podia ser meu ... da sra. anlisadora ... daquela que vive a procurar a razão de tudo ... enfim ...

Se tivesse que escolher qual dos teus textos gosto mais, não sei o que escolheria ... NÃO PARES NUNCA DE ESCREVER ... imploro ... e não fiques só por este blog ... é mto pouco para as tuas GRANDES palavras

EU

MomentosDeMim said...

Escreves lindamente...